sábado, 25 de abril de 2015

Encadernação



Livros & Costuras
Parte l

Breve história da encadernação

"A prática de encadernar livros data do século VII d.C., na China. Tempos depois, invadiu a Europa, sendo utilizada, durante a Idade Média, nos Mosteiros e nas Universidades. Os mosteiros contribuíram muito para a encadernação, e, até o século XII, os monges encadernavam seus próprios manuscritos: capas de madeira eram encomendadas a carpinteiros, e ourives as cobriam com ricas fazendas, realçadas com motivos em ouro e prata. Na época do Renascimento, desenvolveu-se com vigor a técnica de marmorização, a fim de incrementar ainda mais a capa das obras. Tendo como produto final o papel marmorizado, este foi largamente usado durante Humanismo, quando da valorização das letras e da concepção racional do mundo.Entretanto, a primavera da encadernação encontrou um obstáculo histórico. Com o advento da Revolução Industrial, a partir do século XVIII, a criação de novas máquinas levou a um trato diferente em relação ao livro. Este passou a ser publicado em capas cada vez mais padronizadas e com materiais de menor qualidade. No entanto, esse não foi o fim da encadernação artesanal. Atualmente, embora se encontre extremamente reduzida , ainda há quem faça encadernação com material nobre. Tais materiais devem estar à altura de obra de arte e, ao mesmo tempo, devem servir como ponto de união entre o texto do livro e a decoração.





Vamos conhecer alguns tipos de costuras  





1) Encadernação em Ponto Haste:
Costura com lombada fechada, sem uso de cola.
Os cadernos são costurados na lombada do livro.
Ideal para álbuns de fotografias, portfólios, sketchbooks...
Adaptação do Ponto Haste Portugues (bordado) para encadernação.




2) Encadernação Longstich Buttonhole: 
 A Longstitch é uma técnica que se caracteriza por criar linhas 
ao longo do dorso do livro , por meio de uma abertura na própria capa do livro, sem nenhum uso de cola.








3) Costura Copta:
                      Costura copta é a técnica de organizar folhas soltas protegidas por capa dura,  costuradas em ponto de cadeia com fios ou linhas.
Copta era o nome como eram chamados os nativos cristãos do Egito. No terceiro ou segundo século D.C., os cristãos que viviam no Egito desenvolveram a técnica que consistia em unir páginas de pergaminho dobrado, que eram costurados, adaptando a técnica que tinham em entrelaçamentos de fios e tecelagem de tapetes. O trabalho final era protegido por placas de madeira (capa dura) e coberto com peles de animais.
Uma ligação copta é capaz de ser aberta em 360°!
Embora as técnicas e os materiais tenham mudado consideravelmente ao longo dos últimos dois milênios, a prática de vincular páginas soltas entre capas de proteção em um livro encadernado continua a florescer.
Os primeiros exemplos de ligação copta foram encontrados no Egito, em vários locais diferentes incluindo antigos mosteiros e no deserto. O mais conhecido e mais bem preservado exemplo de vinculação copta é uma cópia do livro Atos dos Apóstolos, datado do século V.

Livro de Assinatura e Caixa

Hoje! podemos ver, cada dia mais o resgate e a valorização dessas técnicas. Com diversas releituras,em diferentes  trabalhos e estilos.

Gosto muito de fazer os meus livros de assinatura,com costuras artesanais.
Alguns nomes e os endereços para vocês pesquisarem!!!


Na EduK tem varios cursos de encadernação,essas costuras aprendi no curso com Luisa Gomes Cardoso,Tereza Pires e Vanessa Navarro.Você pode comprar o curso no www.eduk.com.br 
Longstich Buttonhole, aprendi no programa Sabor de Vida,com Elizandra Sobral,
leartsartesanatos.com.br
Já a costura Copta aprendi com Ricardo Ferreira quando estive em São Paulo.Este é o blog do Ricardo, urupes.blogspot.com

Estou treinando varias outra,
Logo faço o Post para vocês.


Bjkss



Nenhum comentário:

Postar um comentário